quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Agni Parthene



Olá amigos!

Abaixo, compartilho com vocês o belíssimo hino "Agni Parthene" em honra da Mãe de Deus, segundo tradução que fiz. Podem acompanhá-lo com legendas neste link:
http://www.overstream.net/view.php?oid=s1apacm3n3r8


Ó Virgem Pura e Rainha,
Imaculada, Theotokos!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Mãe Virgem e Rainha,
Manto Orvalhado cobre-nos!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Ó Altíssima, mais que os céus,
ó Luminosa, mais que o sol!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Ó deleite dos santos virginais,
maior que os celestiais!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Ó luz dos céus mais brilhante,
mais pura e radiante!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Ó mais Santa e angelical,
ó Santíssimo altar celestial!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Maria Sempre Virgem,
Senhora da Criação!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Ó Imaculada Noiva Virgem,
ó Puríssima Nossa Senhora!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Maria, Noiva e Rainha,
Fonte da nossa alegria!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Venerável Virgem Donzela,
Santíssima Mãe e Rainha!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
És mais alta em plena glória,
Mais venerável que os Querubins,
Alegra-te, Noiva Inesposada!
que toda a hoste incorpórea!
mais gloriosa que os Serafins!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Alegra-te hino dos arcanjos,
Alegra-te música dos anjos!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Alegra-te, canto dos Querubins,
Alegra-te canto dos Serafins!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Alegra-te, paz e alegria, alegra-te,
Alegra-te, porto da salvação!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Do Verbo santo, quarto nupcial;
Flor, fragrância da Incorrupção!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Alegra-te, deleite do Paraíso,
Alegra-te, Vida Imortal!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Alegra-te, Árvore da Vida,
e Fonte da Imortalidade!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Imploro-te, ó Rainha,
eu te suplico!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Peço-te ó Rainha da Criação,
imploro tua benção!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Ó Virgem Pura Venerável,
ó Santíssima Senhora
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Com fervor eu te suplico,
ó Templo Sagrado!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Percebe-me, ajudai-me,
livra-me do inimigo!
Alegra-te, Noiva Inesposada!
Intercede por mim
para que eu tenha a Vida Eterna!
Alegra-te, Noiva Inesposada!

5 comentários:

Marcel Coimbra disse...

É um hino admirável e certamente inspirado pelo Espírito Santo Paráclito! A Virgem Santíssima é chamada "Imaculada", e é a verdade, pois nem mesmo a mancha a original a tocou, preservada de todo pecado pelos méritos de Nosso Senhor! O que a Igreja Católica Romana definiria como dogma no século XIX, foi sempre cantado e defendido pelos santos de Deus! Salve, Imaculada, Palácio do Senhor, como cantou São Francisco de Assis.

Teófilo disse...

Marcel, obrigado pelo comentário. Quero apenas ressaltar que a igreja latina ao ler os hinários tradicionais orientais sobre Maria ser imaculada, passou ao largo do significado da expressão. Segundo a Ortodoxia da Fé Católica, Maria ser imaculada significa que embora ela tenha herdado o pecado ancestral, embora ela tivesse o potencial para pecar, ela foi a maior e mais perfeita das ascetas e não cometeu pecado algum. A tradição é clara: apenas Jesus é sem pecado no sentido literal da expressão. Ademais, se Maria fosse mesmo uma nova criação conforme o dogma do século XIX, nossa salvação seria impossível, pois é concebido de Maria que o Filho herda a natureza dela, ou seja a nossa natureza humana, com o pecado, anulado, então, na união com a natureza divina na Pessoa do Filho. Se Maria houvera sido criada sem pecado, teria sido essa natureza pura dela que Cristo teria herdado, e não a nossa natureza que Maria compartilha.

Prof. Dr. Jivaldo disse...

Sr. Marcel, pelo argumento do senhor em relação à Mãe de Deus, Cristo também deveria ter nascido com pecado já que nasceu de uma natureza maculada pelo pecado. Cristo nasceu com pecado? Parece-me que a Ortodoxia não afirma isto!

Teófilo disse...

Prof. Jivaldo,

se para nascer uma natureza sem pecado fosse necessário uma fonte carnal sem pecado, então Santa Ana teria que ser sem pecado para que Maria fosse e assim sucessivamente até Adão e Eva.

O posicionamento da Igreja tem sido o mesmo desde sua origem: que não é herdada a culpa do pecado original, nem o próprio, mas herdamos a consequência e fruto daquele pecado: a morte. Todos os pecados pelos quais somos culpados são os nossos próprios, e nenhum de nossos pais.

Assim, Jesus de fato herdou a natureza mortal do homem - tanto que morreu. Isso não implica em nenhuma herança de pecado, mas é coditio sine qua non, da salvação. Cristo salva por assumir em sua pessoa divina a natureza humana, transformando-a de mortal como era apartada de Deus, para imortal, como é unida nEle.

É por isso que se Maria não compartilhasse exatamente a mesma natureza que nós, teria sido a nova natureza recriada em Maria que teria se unido ao Cristo, e não a antiga natureza que compartilhamos.

LEONARDO AMARAL disse...

Ao ouvir o Agni Parthene, sinto me como os anjos, louvando a Mãe de Deus. Um verdadeiro canto inspirado pelo Espírito Santo.