sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Israel e Gaza

"A Hospitalidade de Abraão"

Amigos,

diante dos tristes acontecimentos que todos testemunhamos recentemente, creio que é uma questão de honestidade e caráter me posicionar de forma clara quanto a isso, em face da do chamamento de amor do Cristo, mas também de que nosso dizer seja "sim, sim, não, não", ou seja, direto e claro e não com subterfúgios.

Israel está certo. O Hamas está errado.

Durante os anos de trégua o Hamas não parou de lançar mísseis em Israel. E lá também tem criancinhas mortas que a mídia não mostra.

O Hamas, de propósito, utiliza áreas civis para lançar seus ataques conra Israel para que, em caso de reação, eles possam mostrar as vítimas civis na TV.Vítimas civis, sim, mas vítimas do Hamas que não hesita em matar seus co-cidadãos pela sua "causa".

A Palestina tem uma política de lavagem cerebral *pesada* das crianças para que elas se coloquem em situação de risco e morram. A Palestina pede na TV para as crianças para que elas se deixem matar para que possam fazer showzinho com o sangue delas nas mídias internacionais. Vejam os links aqui:

Crianças de Gaza:
http://www.youtube.com/watch?v=TkwthDpeZWk&feature=channel

E quando, a despeito de colocarem os filhos na frente de si para que morram e virem "notícia", ele não conseguem isso, os covardes, encenam a morte de crianças para compensar, como pode ser visto aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=DzsCBFhCsyY

O que passa na TV Palestina
http://www.pmw.org.il/

Personagens infantis palestinos ensinando às crianças que matar é bom e que muçulmanos são superiores ao resto da humanidade e destinados a dominar o mundo:
http://www.youtube.com/watch?v=p-SA4nk5uds&feature=channel_page
http://www.youtube.com/watch?v=lZEGsnWZKh8&feature=channel
http://www.youtube.com/watch?v=lZEGsnWZKh8&feature=channel
http://www.youtube.com/watch?v=TAqtDxTW9ho

Vale lembrar que esse negócio de ensinar as próximas gerações que devem matar os judeus não fica restritos aos judeus. Eles não estão sequer defendendo a supremacia "árabe", porque o Islã não é apenas árabe. Os árabes cristãos são convidados a ajudar contra a "opressão de Israel", mas tão logo as pessoas que produzem esses vídeos tenham poder total, vão matar *também* os cristãos que se encontram no Oriente Médio.

E ainda, a confissão de que colocam mulheres e crianças na frente do fogo inimigo como verdadeira indústria da morte para mostrar ao mundo desenvolvido:

http://www.youtube.com/watch?v=g0wJXf2nt4Y


Aqui, os covardes arrastam as crianças para a linha de tiro:

http://www.youtube.com/watch?v=J08GqXMr3YE


Não é aceitável que um cristão apóie a "causa palestina" de modo algum. São pessoas que odeiam judeus *e* cristãos, pregam o ódio, colocam suas próprias crianças na linha de fogo para poder aparecer na mídia e desejam, qual os nazistas, dominar o mundo. E pouco importa se "dominar o mundo" é algo que dá para fazer ou não. Como vimos com os nazistas, os loucos que acham que é possível matam muita gente antes de falharem em seu propósito.

Um povo que utiliza suas próprias crianças como escudos humanos é um povo doente e de *covardes*. Um povo que trai acordos de paz jogando mísseis na "encolha" para depois ficar chorando feito uma menininha quando reagem é um povo doente e de *covardes*.

Se os palestinos realmente querem respeito, que cresçam como seres humanos. Em Israel, existem palestinos nos cargos públicos, politicamente organizados, protegidos pelas leis democráticas daquele país. E eles também morrem pelos mísseis covardes de seus "compatriotas". Quando houverem judeus no governo palestino, assim como há palestinos no governo de Israel, aí falaremos de respeito igual. Até lá, são *covardes* que se valem do poder das armas, da inocência das crianças e da mídia. *Covardes*.

Eu sei que a maioria dos muçulmanos são pessoas de bem e querem a paz tanto quanto nós. Mas assim como eu sei que existem pessoas ruins no Brasil, não posso me calar quanto às pessoas ruins de outros países só para ser politicamente correto ou corromper o amor cristão com condescendência com o pecado.

--------
Que Deus permita que os palestinos falhem vigorosamente antes que causem algo como uma nova guerra.
-------

E também quero registrar algumas palavras a respeito de como um cristao deve lidar com os judeus. Mas como sou menos que pó, vou deixar que a própria palavra de Deus, o Espírito Santo, através de São Paulo em sua epístola aos Romanos, nos ensine o que Deus quer dos cristãos sobre os judeus:


Deus é fiel ao povo judeu apesar da incredulidade deles. A incredulidade deles não cancela a fidelidade de Deus quanto às promessas que fizera aos patriarcas judeus.

Romanos 3
1 Qual é pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão?
2 Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas.
3 Pois quê? Se alguns foram incrédulos, a sua incredulidade aniquilará a fidelidade de Deus?
4 De maneira nenhuma; sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, E venças quando fores julgado.


São Paulo aceitaria se separar de Cristo se isso ajudasse a salvar os judeus

Romanos 9

1 Em Cristo digo a verdade, não minto (dando-me testemunho a minha consciência no Espírito Santo):
2 Que tenho grande tristeza e contínua dor no meu coração.
3 Porque eu mesmo poderia desejar ser anátema de Cristo, por amor de meus irmãos, que são meus parentes segundo a carne;
4 Que são israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e as alianças, e a lei, e o culto, e as promessas;
5 Dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém.


Os Judeus convertidos são o ramo que sustenta os gentios (todos os não judeus) batizados no Corpo de Cristo. Eles são os ramos naturais, nós os enxertados por misericórdia.

Romanos 11

18 Não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti.

19 Dirás, pois: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado.

20 Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé. Então não te ensoberbeças, mas teme.

21 Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, teme que não te poupe a ti também.

22 Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado.

23 E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar.

24 Porque, se tu foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira!

25 Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado.

26 E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o
Libertador, E desviará de Jacó as impiedades.

27 E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados.

Apesar de alguns serem inimigos do evangelho, Deus ainda ama o povo judeu como um todo:

28 Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais.


E isso acontece porque Deus não se arrepende das promessas feitas ao povo judeu. Ele mantém e manterá todas.

29 Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento.
E ainda há esta Encíclica do Patriarca de Constantinopla Metrófanes III, no século 16:

Os judeus residentes da ilha de Creta nos relataram em alto e bom som e com muitas lágrimas que alguns cristãos os têm tratado mal. Às vezes os cristãos os entregam injusta e caluniosamente aos honoráveis governantes da ilha. Às vezes os cristãos fazem planos injustos contra eles, assim como os ferem e perturbam. Às vezes, os cristãos os atacam veementemente.

Além disso, os cristãos irracionalmente apressam-se em maltratar os judeus, pensando que receberão uma recompensa do Deus de todos. Por esta razão, escrevo esta carta em nome do Espírito Santo, para declarar a todos os cristãos que cometem tais ações injustas e levantam falsas acusações contra os judeus e causam todo esse mal e destruição injustos e irracionais contra eles... esses cristãos que cometem tais ações insolentes contra os judeus estão excomungados do Deus Todo-Poderoso e estão amaldiçoados e permanecem sem perdão mesmo depois da morte.

Injustiça e calúnia, a despeito de contra quem sejam feitas ou atiradas contra, são, ainda, injustiça. A pessoa injusta não é nunca aliviada da responsabilidade de tais ações sob o pretexto de que sejam realizadas contra uma pessoa heterodoxa e um não-crente. Como Nosso Senhor Jesus Cristo diz nos Evangelhos, não oprima ninguém, nem acuse falsamente...

Essays on Orthodox Christian-Jewish Relations, Cap. 05, por Pe. George C. Papademetriou


E ainda:

A única figura proeminente a condenar as perseguições contra os judeus durante a guerra civil que se seguiu à Revolução Bolshevik, aberta e diretamente, foi o cabeça da Igreja Ortodoxa, Patriarca Tikhon.

Richard Pipes, Russia Under the Bolshevik Regime (Harville Press, 1994)

Um comentário:

Pe. Mateus disse...

Parabéns pelo texto escrito com puro espírito cristão e lucidez de mente.

Pe. mateus (Antonio Eça)